BLOG

Como deve ser o registro de um produto digital?

Publicado em 30/11/2017

O registro de um produto digital é certamente uma etapa bastante importante do processo de se colocar um infoproduto no mercado, mas é notório que é a menor parte dos empreendedores que leva isso em conta quando resolve atuar nesse meio. 

Normalmente as pessoas só levam a sério o registro de marcas e de produtos que existem no “mundo real”, não dando o valor devido a esse tipo de burocracia quando trabalham virtualmente. 

Você não deve cometer esse erro, de verdade, e a seguir nós vamos te mostrar porque o registro de um produto digital é fundamental e como você pode fazê-lo da maneira correta! Vem conferir! 

Antes de falar sobre o registro de um produto digital entenda o que é um infoproduto 

Muita gente não compreende muito bem o conceito de infoproduto, e é natural que isso ocorra. Por muito tempo tudo que consumimos na internet foi gratuito (ou, pelo menos, era o que pensávamos) de modo que é difícil acreditar que dá para comprar uma coisa que é na sua essência virtual. 

De uns tempos para cá os empreendedores digitais perceberam que precisavam ir além e não oferecer apenas mercadorias físicas com comercialização online, mas sim investir em um nicho crescente no exterior: a criação e a venda de infoprodutos. 

Como você pode estar suspeitando um produto digital e um infoproduto são basicamente a mesma coisa. Podemos definí-los como produtos que são criados dentro do meio virtual, que são vendidos também nessa esfera e consumidos nesse mesmo meio. 

Que tipos de produtos digitais existem? 

Existe uma variedade bem grande de infoprodutos no mercado nacional e internacional. Na verdade, o que mais vemos são formas pré-estabelecidas de se fazer esse tipo de produto, que vão sendo utilizadas por diversos empreendedores de maneiras distintas, de acordo com suas áreas de atuação. A seguir listaremos as principais: 

  • E-book – Trata-se de um livro que tem o formato todo digital. Costumam ser mais curtos que os livros físicos e são feitos normalmente com o propósito didático, mas existem também os e-books de ficção, de autobiografia, de poesia, etc. Além disso, vale dizer que o registro de um produto digital se mostra importantíssimo no caso deles; 
  • Videoaula – As videoaulas são uma forma mais dinâmica de você passar conteúdo, especialmente se a sua intenção é transferir conhecimento. O formato é bastante utilizado hoje em dia, especialmente com o advento de meios que facilitam a sua dissiminação, como o YouTube, por exemplo; 
  • Podcast – O podcast é como um programa de rádio que você pode ouvir a qualquer hora e em qualquer lugar! Os assuntos utilizados nesse tipo de formato são variados e podem passar por cinema e terminar em ciência, por exemplo; 
  • Revistas digitais – Nesse caso esse formato abrange segmentos distintos e ideias variadas, mas a proposta é fazer um jornalismo mais econômico e nem por isso menos lucrativo para os seus desenvolvedores; 

E como funciona o registro de um produto digital? 

O produto digital que mais pede por registro certamente é o e-book. Não só ele é o que mais exige esse tipo de burocracia, mas também é o que tem essa proposta facilitada por um motivo muito simples: a mesma ferramenta que se usa para registrar um livro tradicional pode ser utilizada para registrar um livro virtual. 

E qual seria essa ferramenta, afinal? Através do site da Biblioteca Nacional, onde você pode fazer o registro de uma obra literária, independentemente do formato que ela possa ter. 

Com esse registro você consegue garantir os direitos autorais e patrimoniais da obra em questão por um tempo determinado, e se protege contra pessoas que possam utiliza-la de maneira indevida, podendo inclusive recorrer a justiça caso algo assim possa acontecer. É uma maneira de manter o valor da sua obra somente nas suas mãos e assim não se ver em maus lençóis por causa da má fé alheia. 

Como você pode ver o registro de um produto digital funciona de forma semelhante ao registro de outros tipos de produto que são da mesma classe. Vale a pena pesquisar um pouco para entender todo o processo e garantir que você sabe fazê-lo da maneira certa, para que a sua criação seja também parte dos seus bens!